Reprodução Internet

 

MÊS Agosto dias

CONTÁGIOS

MORTES

 

 

MÊS Setembro dias

CONTÁGIOS

MORTES

01

22

1

 

01

75

1

02

19

2

 

02

66

1

03

106

0

 

03

22

0

04

43

0

 

04

56

1

05

112

2

 

05

28

2

06

191

0

 

06

19

1

07

82

1

 

07

12

0

Semana 1

575 (+ 157%)

6

 

 

278 (- 14%)

6

 

 

 

 

 

 

 

08

33

0

 

08

16

0

09

7

1

 

09

25

0

10

73

0

 

10

79

1

11

141

1

 

11

23

2

12

75

0

 

12

16

0

13

69

0

 

13

11

1

14

19

1

 

14

31

0

Semana 2

417 (- 27,5%)

3

 

 

201 (- 27,5%)

4

 

 

 

 

 

 

 

15

33

2

 

15

65

3

16

6

0

 

16

17

1

17

58

1

 

17

46

0

18

124

0

 

18

40

2

19

59

0

 

19

18

0

20

29

2

 

20

20

1

21

90

2

 

21

45

1

Semana 3

399 (- 5%)

7

 

 

251 (+ 25%)

8

 

 

 

 

 

 

 

22

53

1

 

22

24

0

23

12

1

 

23

52

2

24

70

1

 

24

96

0

25

51

1

 

25

55

0

26

69

2

 

26

15

0

27

50

0

 

27

11

1

28

44

3

 

28

38

1

Semana 4

349 (- 12,5%)

9

 

 

276 (+ 10%)

4

 

 

 

 

 

 

 

29

40

0

 

29

20

0

 

15

0

 

 

71

0

31

53

0

 

31

68

0

 

108

0

 

60

159

0

 

322 (- 7,5%)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

1.848

25

 

 

1.165

22

               
 

A Covid-19 apresentou um rápido crescimento em Votuporanga nos meses de junho e julho. Em agosto os números explodiram e chegaram no seu nível máximo na cidade.

Junho teve 432 contaminados e 8 mortes.

Julho foram 1.113 contaminados e 28 mortes

Em Agosto o registro foi de 1.828 contágios e 25 mortes

Setembro teve a marca de 1.165 com 22 mortes

 Agosto até agora, registrou o nível máximo de pessoas que foram infectadas pelo novo coronavírus, aliás, o recorde foi registrado na primeira semana de agosto, que comparada a última semana de julho, teve um aumento de 157% de contaminados. O mês em que ocorreram mais mortes foi Julho, com 28, quase 1 morte por dia.

 A partir da segunda semana de agosto os números começaram a apresentar um declínio significativo na quantidade de pessoas confirmadas com a doença, como pode ser visto no gráfico.

 As quedas foram sendo sucessivas até chegarmos na terceira semana de setembro, quando houve uma inversão no gráfico e os números começaram a crescer novamente. Nesta terceira semana um acréscimo de 25% de contaminados e na semana seguinte, outro aumento de 10% e assim terminou o mês de setembro. O que outubro nos reserva, depende da conscientização de cada pessoa, do nível de isolamento e distanciamento, além das medidas de proteção e a não aglomeração.

 Nesta altura do ano, com mais de 6 meses de pandemia, acredito que ninguém queira um retrocesso nas medidas adotadas, muito menos um lockdown, mas isso, depende de cada um...

Recomendadas para você