Reprodução Internet

O Laboratório Estratégico do Instituto Adolfo Lutz, vinculado à Secretaria Estadual da Saúde, confirmou uma reinfecção pelo coronavírus, após realizar o sequenciamento genético de duas amostras clínicas de um caso suspeito, identificadas pelo Centro de Vigilância Epidemiológica.

A paciente é uma mulher de 41 anos, que está viva e mora em Fernandópolis, SP. Ela desenvolveu a doença em junho, com resultado positivo em exame laboratorial. Se curou, e teve nova detecção em novembro, 145 dias após o primeiro diagnóstico. O caso apresentou todos os critérios estabelecidos em nota técnica do Ministério da Saúde para confirmação de reinfecção. 

Os dois exames foram analisados pelo laboratório regional do Lutz de São José do Rio Preto. O Laboratório Estratégico do Instituto Central, localizado na capital, fez o sequenciamento do genoma completo e identificou que se tratam de duas linhagens distintas do vírus, o que pode justificar a reinfecção.

Uma delas foi constatada exclusivamente no Brasil, e a outra já identificada tanto no Brasil quanto nos Estados Unidos, Reino Unido, Austrália e Chile, conforme sequências comparadas com o banco de dados online e mundial GISAID, Global Initiative on Sharing All Influenza Data (Iniciativa Global de Compartilhamento de Todos os Dados sobre Influenza).

Recomendadas para você