Janete Ribeiro

De quarta-feira, dia 03/03 até o dia 17/03, das 20h00 até as 06h00, será decretado Toque de Recolher em Votuporanga. Os estabelecimentos deverão estar fechados e as pessoas não devem circular nas ruas, a não ser em caso de extrema necessidade.

As medidas anunciadas serão publicadas no Diário Oficial Eletrônico da Prefeitura Municipal e vão valer por duas semanas. O objetivo é o tentar conter a rápida disseminação do vírus e assim diminuir a quantidade de pessoas que precisam de atendimento médico em situações graves.

As restrições já são conhecidas e foram adotadas em outros momentos: funcionamento de estabelecimentos, entidades, organizações,  por até 8 horas diárias, de segunda à sexta e somente até às 20h00. No final de semana nem supermercado vai abrir. Apenas farmácias, postos de combustíveis e serviços essenciais.

Haverá fiscalização mais intensa nas ruas, tanto nos estabelecimentos, como com as próprias pessoas nas ruas. Para cumprir o rigor, dos 2 PMs que atuavam na Atividade Delegada, agora serão 12. Bares não poderão abrir em nenhum horário. Festas não serão permitidas, nem mesmo as particulares. Pequenas reuniões familiares poderão acontecer, mas apenas com pessoas do seu núcleo, sem visitas.

As pessoas podem fazer denúncias, caso vejam alguma situação irregular. O telefone 0800-771-8070 vai funcionar de segunda à quarta das 07h00 às 17h00 e de quinta à domingo, das 07h00 até a meia noite. Em outros horários a polícia pode ser acionada.

A crise não é apenas local, mas nas cidades do interior, onde a população é menor, a quantidade de leitos de UTI também é menor. Em Votuporanga, que atende a outros 16 pequenos municípios da região, são 22 leitos de UTI e 37 de enfermaria, que está com 50% de ocupação. Já a UTI está com todos os leitos ocupados, inclusive os 2 que foram criados neste final de semana. Todos os pacientes estão com ventilação mecânica.

O prefeito Jorge Seba disse que conversou com alguns prefeitos da região, incluindo de Fernandópolis, Jales e Rio Preto. Segundo ele, esses municípios também estão enfrentando uma situação bastante crítica. Ele falou que o poder público não pode ser omisso diante de um sistema colapsado, esgotado. E disse mais. Se estas medidas não forem eficazes durante os próximos 15 dias, uma medida mais drástica terá que ser tomada, chegando a pensar em lockdown. Se o governo do estado adotar medidas mais duras, o município vai aderir.

Dr. Chaudes Ferreira Jr contou que vivemos agora o pior momento da pandemia desde que ela começou. Chegou a dizer que há um caos na saúde, o colapso é iminente e se as pessoas não colaborarem e fizerem sua parte, o que vai acontecer é o aumento no número de mortes.

A Secretária Municipal da Saúde, Ivonete Félix do Nascimento, fez uma explanação com dados sobre o avanço da Covid-19 em Votuporanga nos últimos meses. Os indicativos são claros de que pessoas mais jovens também estão sendo acometidas por formas mais graves da doença e vindo ao óbito.

De acordo com a secretária, Rio Preto, que sempre foi uma alternativa para envio de pacientes quando o sistema local estava lotado, agora já não consegue atender a demanda. Lá são 136 vagas de UTI, todas ocupadas e cerca de 500 pessoas aguardando na fila, internadas em quartos, com oxigênio e outras medidas paliativas, já que não há como criar mais leitos. Não há profissionais suficientes para atender a todos e os que trabalham estão exaustos por cumprir uma rotina diária e cansativa, sem poder descansar.

Ela mencionou que Votuporanga tinha 20 leitos de UTI até a última sexta-feira, mas já havia 4 pessoas esperando vaga. No final de semana conseguiu-se mais 2 vagas, no entanto, não tem como aumentar esse número. Ivonete disse que o único tratamento preventivo contra o novo coronavírus é o distanciamento, uso CORRETO de máscara, álcool gel e higienização. Mas é preciso cada um fazer a sua parte e não levar o vírus para casa.

 

 

Recomendadas para você